Bem-vindo à central de ajuda do Contábil

Executando



Estágios da receita pública

PLANEJAMENTO E CONTABILIDADE_SET ICONES (37)

Previsão

Fase em que é estimada a arrecadação de um determinado exercício.



PLANEJAMENTO E CONTABILIDADE_SET ICONES (5)

Lançamento

Etapa que compreende a verificação de crédito fiscal, o cálculo do imposto, a identificação do devedor e a notificação.



PLANEJAMENTO E CONTABILIDADE_SET ICONES (111)

Arrecadação e Recolhimento

Estágio em que são entregues os valores aos agentes arrecadadores ou bancos autorizados, para que estejam disponíveis nos cofres públicos.



Para realizar a gestão das arrecadações da entidade, acesso a funcionalidade por meio da Visão geral ou pelo menu Executando > Receita > Arrecadações. Perceba que são listadas todas as entradas, sejam elas orçamentárias ou extraorçamentárias.

No ambiente também é possível visualizar recursos de busca e filtros, efetuar a gestão das solicitações oriundas do sistema Tributos por meio do painel (widget), bem como, diversas outras ações como emissão de nota e relatório, cópia e anulação de arrecadação, entre outras.

As opções de filtros permitem a você visualizar apenas as arrecadações orçamentárias ou extras, bem como, aquelas que estão com situação Em elaboração ou Anuladas. Para tanto, no momento que o ambiente é acessado, o sistema seleciona o filtro Todas, onde os registros são apresentados, sem qualquer distinção de status.

No meio de tantos registros e movimentações orçamentárias e financeiras, possibilitar a pesquisa por inúmeros critérios é uma constante busca. Afinal, ela melhora a rotina do acompanhamento dessas movimentações além de otimizar o tempo de suas buscas.

No canto superior direito da tela, o sistema dispõe de critérios onde você informa determinada informação no campo Pesquisar, bem como, seleciona outras nos FILTROS PADRÃO e/ou nos FILTROS DADOS ADICIONAIS em Pesquisa avançada.

Ao clicar em Pesquisa avançada, além de serem apresentados critérios de pesquisa nas colunas, os sistema demonstra alguns dos campos passíveis de busca em FILTROS PADRÃO. Esses campos são denominados comuns, pois fazem parte da guia INFORMAÇÕES GERAIS do cadastro de Arrecadação, como por exemplo a Receita extraorçamentária, o Banco, Período Valor etc.

Já os FILTROS DADOS ADICIONAIS, localizados ao lado de FILTROS PADRÃO, apresentam também campos passíveis de pesquisa. Tais campos são provenientes da guia CAMPOS ADICIONAIS do cadastro de Arrecadação.

É importante ressaltar este filtro utiliza uma lógica denominada OU, onde você determinará a busca de dados adicionais desejados. Quanto mais critérios, mais níveis (camadas) de busca serão realizadas e maior é a amplitude da pesquisa de cadastros.

Como utilizar os filtros pelos dados adicionais?

Primeiramente selecione qual o tipo de Cadastro a pesquisa deverá contemplar, por exemplo, quando acessado o ambiente Arrecadações, indique se busca será de um cadastro de arrecadação orçamentária ou de anulação. Após qual o Campo presente da guia CAMPOS ADICIONAIS que você deseja utilizar e o Valor, ou seja, o dado presente no cadastro que será utilizado pelo sistema e que resultará na apresentação de todos os cadastros que possuem o respectivo dado.

Lembre-se de utilizar o recurso SALVAR FILTRO para otimizar futuras pesquisas e acompanhamentos!

Independente da arrecadação estar como Em elaboração ou efetivada, o sistema permite a cópia de todos os dados, desde a data até mesmo as receitas e deduções que nela fazem parte.

Vale destacar que ao realizar a alteração do Valor líquido durante a cópia de uma arrecadação com receita, recursos e/ou deduções informados, os valores desses não são alterados automaticamente. Veja que como boa prática, a exclusão e inserção novamente da receita facilita o cálculo automático.

A emissão pode ser realizada de formas e caminhos diferentes:

A primeira delas se dá por meio da própria tela de cadastro da arrecadação, onde é possível selecionar o modelo padrão ou customizado e ao finalizar a inserção da arrecadação, automaticamente o sistema emite a nota. Veja:

Por meio do botão em forma de engrenagem, você realiza a emissão da nota e de relatório das arrecadações. Perceba que também está disponível para seleção a opção Abrir relatório ao finalizar a execução. Quando habilitada na primeira vez que utilizada, o sistema mantém sua seleção para as futuras emissões.

É possível selecionar inúmeros cadastros e realizar uma única vez a emissão das notas, bem como, de relatório contemplando todas as arrecadações. Para isso selecione os registros que deseja efetuar a emissão e após clique no botão Opções de impressão (em forma de impressora) no canto superior direto do ambiente.

As notas de arrecadações e relatórios, bem como, todos os demais demonstrativos utilizados no sistema Contábil podem ser acessados por meio da tecla de atalho F4 ou menu Executando > Artefatos > Relatórios. Faça uso das tags, elas têm a função de organizar os relatórios, agrupando-os conforme sua finalidade, ou seja, se são anexos legais, gerencias, notas, etc. Ou faça a busca pelo nome do modelo que deseja emitir.

Para a emissão é importante que um modelo esteja disponível conforme já apresentado nos itens acima. Atualmente a equipe de Gestão de Produtos da Vertical Contábil já disponibiliza os modelos denominados padrões para essas emissões e inúmeros outros relatórios e notas aos clientes da linha Cloud. Entretanto, se a entidade necessita que alguma informação seja demonstrada de forma diferente ou até mesmo que não seja apresentado algum dado na emissão, é possível a criação de um novo modelo específico para cada necessidade.

Os modelos de relatórios e notas para a emissão são totalmente customizáveis para a entidade. Elaborados  por meio de fonte de dados dinâmicas, na funcionalidade Gerenciador de relatórios no menu Utilitários, permitem a construção personalizada de relatórios com parâmetros dinâmicos, desenvolvimento e utilização de filtros dinâmicos, além de realizar o compartilhamento entre entidades, otimizando o tempo.

Para isso a entidade deve conversar com a Revenda ou Filial para que verifique a necessidade especificada e realize a criação de um novo modelo de relatório ou nota.


A ferramenta Gerenciador de relatórios exige um conhecimento mais técnico e por isso é voltada para utilização do profissional que desenvolverá os modelos customizáveis.
Atualmente o Konviva dispõe de um treinamento sobre Ferramenta de Relatórios 01: Desenvolvendo e Executando Relatórios, disponibilizado no Konviva em Catálogo > Ferramentas > Ferramentas de Relatórios.

Antes de contextualizar sobre como realizar edições e exclusões de arrecadações no Contábil (inclui-se o Tesouraria), é importante apresentar onde os ícones, que possibilitam tais ações, são apresentados. Tanto pela listagem no ambiente como pelo Histórico é possível fazer uso dos ícones Editar e Excluir:

Como já deve ser de seu conhecimento, o Contábil possui interação com o Tesouraria, compartilhando cadastros e movimentações, como pagamentos de empenhos, subempenhos e despesas extras, recebimentos e devoluções de receita entre tantos outros. Assim, destaca-se que o Tesouraria possui um parâmetro de reconhecimento de documentos e quando habilitado, automaticamente esses documentos integram os ambientes Arrecadações e Pagamentos, caso contrário (quando desabilitado) são apresentados no widget (painel) Pendências da Contabilidade

Perante este contexto, ao editar uma arrecadação já reconhecida pelo Tesouraria, ou seja, que já está integrando as movimentações no ambiente Arrecadações, o sistema Contábil permitirá editar apenas os dados da guia CAMPOS ADICIONAIS, quando existirem, não sendo possível também sua exclusão. Assim, a edição ou exclusão deverá ocorrer pelo Tesouraria, sistema responsável pela gestão financeira.

Quando a arrecadação constar ainda como pendente de reconhecimento no Tesouraria, é possível realizar a edição de qualquer campo, bem como, exclui-la pelo Contábil.

Muitos usuário confundem as ações de anulação e exclusão. Anular não significa Excluir, ou seja, ao efetuar uma anulação de qualquer registro, você estará desfazendo determinada ação, permanecendo o registro mas com situação igual a Anulada. Ao utilizar o ícone Excluir, todo o registro efetuado é apagado do sistema, ou seja, é como se a arrecadação nunca tivesse existido. Talvez você já saiba, mas relembrar é um forma de evitar que certas ações não sejam realizadas indevidamente, causando prejuízos aos registros e a gestão das informações.

Saiba que o sistema permite a anulação total ou parcial da arrecadação orçamentária ou extraorçamentária. 

Na listagem, localize o ícone Histórico. Por meio dele é possível visualizar as etapas que determinada arrecadação passou, bem como, os ícones Anular, EditarExcluir respectivamente.

Utilizando o primeiro ícone destacado na imagem anterior, o sistema apresentará a data e o valor total previamente preenchidos, os quais são passíveis de alteração, ou seja, é possível realizar uma anulação com valor igual ou menor que o arrecadado. O campo Motivo de preenchimento obrigatório, além da Receita e seus Recursos.

Uma Arrecadação pode possuir inúmeras Receitas e com elas, um ou mais Recursos. Logo, é possível excluir aquelas que não serão anuladas. Lembrando que esta ação é possibilitada também no sistema Tesouraria.

O cadastro de uma arrecadação orçamentária é iniciado por meio do botão + ARRECADAÇÃO. A data o sistema preenche automaticamente com a data do último registro, mas é passível de alteração. No campo Transação, informe qual a transação financeira utilizada para o recebimento da receita, ou seja, se a mesma ocorreu por crédito na conta bancária, dinheiro, cheque ou qualquer outro tipo utilizado pela entidade. 

Para mais detalhes sobre o cadastro de Transação e Contas bancárias acesse o menu Administrando. Vale destaca ainda que é possível cadastrar uma nova transação por meio da própria tela da arrecadação.


Após a inserção da conta bancária, deve ser informado também se esta conta é corrente, aplicação ou salário. Muitos usuários cometem o erro de cadastrar uma conta bancária para cada tipo, mas isso não é necessário, uma vez que o sistema Tesouraria com o auxílio do Contábil realiza a gestão financeira unificada. Mesmo que uma conta seja corrente, aplicação e salário, em cada movimentação seja arrecadação, pagamento, transferência financeira ou ajuste de recurso, é solicitado o tipo da conta.

Agora, quando uma conta bancária possui apenas de um tipo, por exemplo somente corrente ou aplicação ou salário, o sistema já seleciona tal informação automaticamente.

Então atenção no momento de cadastrar as contas bancárias da entidade, bem como, na seleção delas durantes os cadastros de movimentações!

Em seguida deve ser informada a Receita, oriunda do cadastro de Receitas da LOA do sistema Planejamento (Cloud) ou do cadastro de Receitas não previstas (Administrando > Cadastros auxiliares)

Veja que os Recursos são sugeridos automaticamente pelo sistema. Isso se deve ao cadastro de Desmembramento de receitas, o qual possui o objetivo de realizar uma configuração prévia da receita, ou seja, quais seus recursos e/ou deduções para uso posterior em cadastros que a consomem, além evitar a inserção ou alteração de informações diferentes daquelas previamente definidas. Para saber mais sobre como realizar o desmembramento, acesse o link abaixo.

Outro ponto importante é quando uma Receita não é demonstrada para seleção, devendo ser verificado:

  • O cadastro de Receitas na LOA (sistema Planejamento > LOA);
  • O cadastro de Receitas não prevista na LOA (sistema Contábil > Administrando > Cadastros auxiliares).

Como já deve ser de seu conhecimento, não é possível prever todas as receitas que ocorrerão durante o exercício e registrá-las na LOA. Assim, o mais provável é a inserção no segundo cadastro citado para que você consiga selecioná-la e realizar sua arrecadação.

Para saber mais detalhes sobre o cadastro de Receitas não Previstas, acesse:

Conforme as três fases da receita orçamentária – Previsão, Lançamento e Arrecadação, o lançamento representa a segunda etapa do “ciclo de vida” do ingresso de receita no caixa. 

De acordo com o art. 53 da Lei 4320/64, “O lançamento da receita é ato da repartição competente, que verifica a procedência do crédito fiscal e a pessoa que lhe é devedora e inscreve o débito desta”. Desta forma, todos os valores que a entidade reconhece e tem o direito a receber são classificados (de acordo com a natureza da receita) e registrados no ambiente próprio . O objetivo desta funcionalidade é demonstrar todos os lançamentos efetuados, bem como, auxiliar o sistema a se organizar quanto aos valores a receber.

O ambiente Lançamentos de Receita (Executando > Receita > Lançamentos) recepciona os registros de receitas previamente reconhecidas, ou seja, não é a arrecadação em si, mas o direito de receber o respectivo crédito tributário, aquele onde a pessoa já consta como devedora perante o município.

Logo, quando uma receita já constar como lançada no sistema Contábil, ao arrecadá-la você deverá selecionar este campo:

Essa seleção evita a contabilização em duplicidade nas contas de VPA e Créditos Tributários a Receber do Ativo. Perceba abaixo que a escrituração do lançamento da receita foi realizado dia 10/06 das seguintes contas:

Logo, no momento da realização da arrecadação, o sistema escriturará somente as contas Caixa ou Banco, os grupos orçamentários (6211 e 6212) e de controle (7211 e 8211101), bem como, a baixa da conta do Ativo Crédito Tributários a Receber (11211) anteriormente utilizada. Veja:

Recursos que o ente arrecada, mas que pertencem a outro ente (transferências constitucionais ou legais)

No caso em que se configure em orçamento apenas o valor pertencente ao ente arrecadador, deverá ser registrado o valor total arrecadado, incluindo os recursos de terceiros. Após isso, estes últimos serão registrados como dedução da receita e será reconhecida uma obrigação para com o “beneficiário” desses valores em contrapartida a uma VPD.

Novamente, não há necessidade de aprovação parlamentar para transferência de recursos a outros entes que decorra da legislação. As transferências constitucionais ou legais constituem valores que não são passíveis de alocação em despesas pelo ente público arrecadador. Assim, não há desobediência ao princípio do orçamento bruto, segundo o qual receitas e despesas devem ser incluídas no orçamento em sua totalidade, sem deduções.

No entanto, alguns entes podem optar pela inclusão dessa receita no orçamento, e nesse caso o recebimento será integralmente computado como receita (sem dedução orçamentária), sendo efetuada
uma despesa orçamentária quando da entrega ao beneficiário para balancear os recursos que lhe são próprios.

Importante destacar que os procedimentos contábeis deste item são aplicáveis apenas para recursos que, a princípio, não sejam próprios do ente arrecadador.

Restituições de Receitas Orçamentárias

Depois de reconhecidas as receitas orçamentárias, podem ocorrer fatos supervenientes que ensejem a necessidade de restituições, devendo-se registrá-los como dedução da receita orçamentária, possibilitando maior transparência das informações relativas à receita orçamentária bruta e líquida.

O processo de restituição consiste na devolução total ou parcial de receitas orçamentárias que foram recolhidas a maior ou indevidamente, as quais, em observância aos princípios constitucionais da capacidade contributiva e da vedação ao confisco, devem ser devolvidas. Como correspondem a recursos arrecadados que não pertencem ao ente público e não são aplicáveis em programas e ações governamentais sob a responsabilidade do arrecadador, não há necessidade de autorização orçamentária para sua devolução.[...]

Portanto, com o objetivo de possibilitar uma correta consolidação das contas públicas de todos os entes, nacional e por esfera de governo, deve-se proceder à restituição de receitas orçamentárias recebidas em qualquer exercício por dedução da respectiva natureza de receita orçamentária.

Faz-se ressalva apenas para o caso de restituição de receitas consideradas extintas – aquelas cujo fato gerador da receita orçamentária não representa mais situação que gere arrecadações para o ente.

Para as rendas extintas no decorrer do exercício, deve ser utilizado o mecanismo de dedução até o montante de receita orçamentária passível de compensação, e apenas o valor que ultrapassar o saldo da receita a deduzir deve ser registrado como despesa orçamentária do exercício. E, para rendas extintas em exercícios anteriores, deve-se registrar a devolução integralmente como despesa
orçamentária do exercício.

No caso de devolução de saldos de convênios, contratos e congêneres, deve-se adotar os seguintes procedimentos:

a. Se a restituição ocorrer no mesmo exercício em que foram recebidas transferências do convênio, contrato ou congênere, deve-se contabilizar como dedução de receita orçamentária até o limite de valor das transferências recebidas no exercício;

b. Se o valor da restituição ultrapassar o valor das transferências recebidas no exercício, o montante que ultrapassar esse valor deve ser registrado como despesa orçamentária.

c. Se a restituição for feita em exercício em que não houve transferência do respectivo convênio/contrato, deve ser contabilizada como despesa orçamentária.

Renúncia de receita orçamentária

O art. 14 da LRF trata especialmente da renúncia de receita, estabelecendo medidas a serem observadas pelos entes públicos que decidirem pela concessão ou ampliação de incentivo ou benefício de natureza tributária da qual decorra renúncia de receita, a saber:

Art. 14 – A concessão ou ampliação de incentivo ou benefício de natureza tributária da qual decorra renúncia de receita deverá estar acompanhada de estimativa do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que deva iniciar sua vigência e nos dois seguintes, atender ao disposto na lei de diretrizes orçamentárias e a pelo menos uma das seguintes condições:

I – demonstração pelo proponente de que a renúncia foi considerada na estimativa de receita da lei orçamentária, na forma do art. 12, e de que não afetará as metas de resultados fiscais previstas no anexo próprio da lei de diretrizes orçamentárias;

II – estar acompanhada de medidas de compensação, no período mencionado no caput, por meio do aumento de receita, proveniente da elevação de alíquotas, ampliação da base de cálculo, majoração ou
criação de tributo ou contribuição.

§1º A renúncia compreende anistia, remissão, subsídio, crédito presumido, concessão de isenção em caráter não geral, alteração de alíquota ou modificação de base de cálculo que implique redução discriminada de tributos ou contribuições, e outros benefícios que correspondam a tratamento diferenciado.
§2º Se o ato de concessão ou ampliação do incentivo ou benefício de que trata o caput deste artigo decorrer da condição contida no inciso II, o benefício só entrará em vigor quando implementadas as medidas referidas no mencionado inciso.

§3º O disposto neste artigo não se aplica:
I – às alterações das alíquotas dos impostos previstos nos incisos I, II, IV e V do art. 153 da Constituição, na forma do seu §1°;

II – ao cancelamento de débito cujo montante seja inferior ao dos respectivos custos de cobrança.

Sobre as espécies de renúncia de receita, tem-se que:

  • Anistia - ou seja, o perdão da multa;
  • Remissão - ou seja, o perdão da dívida;
  • Crédito presumido - representa o montante do imposto cobrado na operação anterior e objetiva neutralizar o efeito de recuperação dos impostos não cumulativos, pelo qual o Estado se apropria do valor da isenção nas etapas subsequentes da circulação da mercadoria;
  • Isenção - espécie mais usual de renúncia e define-se como a dispensa legal, pelo Estado, do débito tributário devido.

Após contextualização, vale ressaltar ainda que o cadastro de Deduções também está compartilhado com o Tesouraria (Cloud), e os registros realizados em um sistema aparecerão em outro consequentemente. Para conhecer como realizar os cadastros de Deduções da receita no sistema acesse o link:

Para inserir uma dedução na arrecadação que está sendo realizada, utilize o botão + DEDUÇÃO e selecione o tipo de redução que será realizada.

Automaticamente o sistema realizará a escrituração do documento arrecadatório com todos os devidos lançamentos, inclusive aquele referente a dedução informada.

Em Mais opções é possível realizar a vinculação de outras informações que se relacionam com a arrecadação orçamentárias ou extraorçamentária, ou seja, um Contrato, Convênio, Credor ou Dívida.

Esta informação tem origem no cadastro de Credores disponível no menu Administrando > Pessoas > Credores. Pode ser utilizada para controlar uma entrada orçamentária ou extraorçamentária por determinado credor, inclusive elaborar relatórios customizados para que busquem e apresentem tal relação.

Utilizado para a identificação ou vinculação de um Contrato à arrecadação cadastrada. Vale ressaltar que os termos são oriundos do ambiente Contratações e compras diretas do sistema Contratos.

Oriundo do sistema de Convênios, é possível vincular à arrecadação um identificador referente a um convênio vigente. É importante ainda notar que o sistema habilita dois campos: Convênio e Credor. Ambos devem ser informados independente da ordem de seleção.

Pode ser utilizada para identificar o repasse de uma parcela da dívida oriunda de operações de crédito por exemplo. Lembrando que o cadastro de Dívidas por ser realizados por meio do menu Executando > Controle.

 

Conhecido o conceito de forma simplificada, o cadastro de uma arrecadação extra inicia por meio do botão destacado na imagem abaixo. 

E como nos ingressos orçamentários, além da Data previamente preenchida pelo sistema, deve ser indicada a Transação, ou seja, se a arrecadação é débito em conta, dinheiro (caixa), cheque, etc., o Valor, e dependendo da transação, a Conta bancária e seu Tipo (corrente, aplicação ou salário), bem como, a Especificação.

Realizado o preenchimento básico dessas informações, deve ser inserida a receita extraorçamentária que representa o ingresso de recurso da respectiva arrecadação. Para isso clique sobre o botão + RECEITA EXTRAORÇAMENTÁRIA.

O cadastro de Receitas extraorçamentárias é realizado por meio do menu Administrando > Controle. Neste ambiente são inseridas as receitas que representarão os ingressos extraorçamentários dos tipos:

  • ARO;
  • Depósito;
  • Consignação;
  • Transferência Financeira;
  • Transferência de Duodécimo;
  • Pagamento antecipado;
  • Outros.

São exemplos de arrecadações extras aquelas referentes as devoluções dos repasses de duodécimos realizados para a Câmara, bem como, depósitos de fundos e fundações referente às Despesas extras com INSS dos mesmos. Observe as imagens com exemplos de alguns ingressos extras:


Assim como no cadastro de arrecadações orçamentárias, é possível realizar a vinculação de um identificador do tipo Contrato, Convênio, Credor ou Dívida.

As solicitações de arrecadações, são entradas de recursos registradas no sistema Tributos (Cloud ou Desktop) enviadas ao Contábil para devido reconhecimento.

Essas entradas são apresentadas no widget (painel) Solicitações de arrecadações, o qual está localizado ao lado direito da tela do ambiente Arrecadações. Veja:

Veja que a arrecadação de R$ 395,00 apresentada no widget acima, está aguardando o reconhecimento ou aprovação da área contábil, situação esta, também apresentada no sistema Tributos (Cloud) como PENDENTE.

Quando aprovada solicitação de arrecadação no Contábil, a situação no sistema Tributos se altera para Contabilizado. Quando não aprovado, constará como Descartado. Uma vez contabilizado ou descartado pela contabilidade, o sistema Tributos não permitirá mais o envio do lançamento e o setor responsável pelo registro da arrecadação deverá verificar o motivo do descarte, se houve erros por parte do contribuinte ou pelo setor tributário da entidade ou mesmo se o registro já consta no sistema Contábil.

Para tanto, o descarte só deverá ocorrer na última situação, ou seja, quando a arrecadação já constar como registrada no Contábil. 

Quando existirem erros na escrituração da arrecadação motivados pelo contribuinte ou pelo próprio ente, o MCASP 2021 é claro:

Deve-se ter atenção, ainda, para situações específicas que incorram em diminuição da receita orçamentária, como o caso de retificação de informações ou estornos.

A retificação consiste em corrigir dados informados erroneamente pelos contribuintes, que geraram registros incorretos na contabilidade do órgão. Exemplo: identificação do contribuinte, tipo de receita etc. A correção desses dados deve ser feita mediante registro de dedução de receita e, após isso, deve-se proceder ao lançamento correto.

No caso de lançamentos em que ocorram erros de escrituração do ente (não motivados por informações incorretas dos contribuintes), a correção deve ser feita por meio de estorno e novo lançamento correto.

Por esse motivo o sistema Tributos (Cloud) não permite o reenvio de uma solicitação de arrecadação descartada pela contabilidade por questões de erros, e obriga ainda o setor tributário da entidade efetivar um novo registro, desde seu lançamento ao seu pagamento com as informações corretas. Logo, a solicitação de arrecadação “errada”, anteriormente citada, deveria ser reconhecida pelo Contábil normalmente, bem como seu estorno, também enviado pelo sistema Tributos, e após, reconhecer a nova solicitação de arrecadação com dados corretos. Fique atento!

É importante se atentar também aos avisos de inconsistências encontrado no sistema Contábil dos registros de solicitações de arrecadações. Por meio deles, é informada se uma conta bancária não está cadastrada ou mesmo se a configuração não está correta quando na ausência de relacionamento de naturezas de receitas (rubricas).

Quando uma solicitação de arrecadação constar no widget com um aviso de Configuração com inconsistências, significa que não existe relacionamento entre a natureza da receita do Contábil com o tributo do sistema Tributos.

É isso mesmo! Para efetuar o reconhecimento das arrecadações, você deverá realizar primeiramente a configuração ou DexPara entre a Natureza da receita e o Tributo, bem como, o relacionamento das Deduções e Descontos. Para isso clique no botão CONFIGURAÇÃO, localizado no canto direito do widget.

Veja no pequeno vídeo abaixo que ao acessar a configuração, seja ela pelo aviso ou por meio do próprio botão localizado no widget, a mesma tela é apresentada para o relacionamento entre Tributo e Receita ou Desconto e Dedução.

Como somente os cadastros de Receita e Dedução fazem parte do sistema Contábil, apenas estes poderão ser editados. Já os registros do tipo Tributo e Desconto são provenientes do sistema Tributos (Cloud) e suas informações são carregadas quando a interação entres os sistemas é realizada. A cada interação enviada pelo Tributos (Cloud), novos registros sem relacionamento poderão surgir. Então fique atento! Realizada configuração uma vez, não significa que todos os tributos ou descontos estão relacionados.

No exemplo abaixo são utilizados naturezas de receitas quaisquer para demonstrar como é realizado o relacionamento.

Perceba ainda que após o correto relacionamento, deve ser reprocessada a solicitação de arrecadação para que o sistema identifique a natureza da receita ou a dedução informada e o aviso de inconsistência não seja mais apresentado.

Após reprocessamento da solicitação, é possível que novos avisos ainda sejam apresentados. Como no exemplo acima, a conta bancária também não consta cadastrada no sistema Contábil. O próximo tópico será demonstrado como resolver tal situação.

Como citado no item anterior, outro aviso de inconsistência é o indicativo de que a conta bancária do recebimento da arrecadação não consta cadastrada no sistema Contábil.

Então, por meio do menu Administrando > Bancários > Contas, certifique-se que a conta realmente não consta cadastrada no sistema. Após, basta inseri-la e reprocessar a solicitação para reconhecê-la.

Este item tem o objetivo de apresentar outra situação que pode ocorrer na sua entidade e apresentar inconsistências, não permitindo o reconhecimento das solicitações de arrecadações.

Após interação entre os sistemas, o Tributo ou Desconto pode não constar na Configuração do widget. Assim, quando não encontrados, deverão ser inseridos manualmente por meio do botão + TRIBUTO e + DEDUÇÃO respectivamente.

Não encontrado o tributo oriundo das solicitações de arrecadações, deve ser inserido antes de efetuar o relacionamento (dexpara) com a natureza da receita.

Por meio do botão + TRIBUTO, informe a Descrição e o Tipo.

Como no Tributo, quando não localizado o Desconto para relacionamento da Dedução, é necessário inseri-lo por meio do botão + DESCONTO.

Como já citado, o painel ou widget recepciona os lotes de arrecadações enviados pelo Tributos (Cloud ou Desktop), e permite adicionar, visualizar as informações enviadas, reprocessar, descartar, bem como, verificar as inconsistências apresentadas. Com relação ao descarte, lembre-se que descartada a solicitação, o sistema Tributos não permite o reenvio da mesma integração (situação citada no item O que são?).

Mas como reconhecer uma solicitação?

Por meio do “+” ou seja, Adicionar solicitação, você reconhece a arrecadação e automaticamente o sistema Contábil realizar toda a escrituração desse documento. Veja que os campos estão devidamente preenchidos, mas o sistema permite alteração de todos eles, desde o recurso,