Bem-vindo à central de ajuda do Contábil

Executando



Todos os registros oriundos das solicitações da folha de pagamento ou aqueles já empenhados e configurações são realizados por meio de um único ambiente: Empenhos. Ele é acessado pela Visão geral ou pelo menu Executando > Despesa.

É possível visualizar o pequeno painel ou widget ao lado direto do ambiente. Nele são realizadas as configurações para recepção dos registros da folha de pagamento, visualizar outras informações, gerar os empenhos e liquidações, bem como, descartar os registros.

A partir deste momento serão demonstradas as configurações necessárias para efetuar os empenhamentos da folha e as ações e recursos disponíveis de usabilidade no painel.

Antes de iniciar qualquer configuração, você deve realizar a importação (interação) da folha de pagamento, ou seja, deve realizar a geração dos registros no Folha (Cloud ou Desktop) e enviá-los ao Contábil.

É imprescindível que esse procedimento seja realizado para que sejam importados os Eventos e Encargos oriundos da folha. Isso otimizará toda a configuração, um vez que você apenas criará os organizadores e relacionamentos.

Para conhecer como realizar as configurações e o envio das informações por meio Folha (Cloud) ao Contábil, acesse o link abaixo.

Após a importação, as solicitações são apresentadas no painel com um indicativo de inconsistências, no qual o direcionará para a tela de configurações.

No vídeo abaixo a tela de configuração da folha de pagamento é demonstrada e com ela três grandes etapas na guia INFORMAÇÕES GERAIS: Eventos da folha, Organizadores e relacionamentos, além de Encargos e relacionamentos. Já na guia PARÂMETROS é possível optar por realizar a geração de empenhos de forma agrupada pela despesas, bem como, a geração de comprovante da liquidação.

Após a demonstração, cada guia e etapa são contextualizadas.

Entendida e realizada a importação da folha, o próximo passo é efetuar a criação dos organizadores e seus relacionamentos. É por meio deles que os empenhos serão gerados em determinada despesa, desdobramento e recurso e conforme o organograma e vínculo empregatício oriundo do arquivo da folha.

Primeiramente realize a inserção de Organizador informando uma Descrição, por exemplo Vencimentos e salários. O organizador criado será vinculado ao Evento oriundo da importação da folha.

O relacionamento é um processo importante no qual os empenhos serão gerados em determinada despesa, desdobramento e recurso e conforme o organograma e vínculo empregatício oriundo do arquivo da folha. 

Por meio do botão Outras opções, clique em Relacionar despesas e após em + RELACIONAMENTO. Informe a Despesa e seu Desdobramento, além do Recurso.

No campo Credor é possível vincular a entidade Prefeitura assim, como um Fundo ou uma Secretaria, caso sejam esses os responsáveis pelo pagamento dos valores gerados. É mais comum a vinculação da Prefeitura como fonte pagadora da folha salarial.

No exemplo abaixo, a prefeitura será demonstrada como Betha Sistemas.

Por fim, informe os Organogramas da folha e os Vínculos empregatícios. Como já citados, essas informações são oriundas da área de Recursos Humanos os quais deverão informá-las a contabilidade conforme a configuração existente no sistema Folha

Assim ao realizar a efetivação dos empenhos, o sistema Contábil identifica no arquivo da folha essa configuração de organogramas e vínculos e realiza a geração nos respectivos organogramas 


Não é possível inserir um relacionamento com a mesma configuração de Organograma e Vínculos empregatícios. Na tentativa, mesmo quando não informados todos os organogramas e vínculos, o sistema emitirá uma mensagem que indicará duplicidade, pois algum relacionamento com a mesma configuração de despesa já esta sendo utilizada.
Compare a próxima imagem com a anterior para melhor entendimento.

É possível inserir quantos elementos a entidade desejar. Algumas realizam o empenhamento fracionado em inúmeras despesas e cada uma delas com desbobramento, recursos, organogramas e vínculos diferentes.

Analisando a imagem acima, supondo que o Organograma 102 – ADMINISTRATIVO e o Vínculo empregatício Celetista deveriam estar alocados na mesma Despesa 1 e Desdobramento 11.01 mas em Recurso diferente. Esse cenário exigirá que você criei um novo relacionamento com a despesa e desdobramento iguais, mas com o recurso diferente, alocando assim, somente o organograma e vínculo específico e estes, não poderão constar no relacionamento anterior. Isso se aplica também para desdobramento diferente por exemplo e é por esse motivo que algumas entidades possuem inúmeros relacionamentos no Organizador Vencimentos e salários, pois possuem diversos fracionamentos entre despesas versus desdoramento versus recursos versus organogramas versus vínculos.

Em cada Organizador criado é possível relacionar Despesas como também Retenções. É isso mesmo! Por meio do botão Outras opções, clique em Relacionar retenções.

Na demonstração, o organizador de Vencimentos e Salários possuem duas retenções: INSS e IRRFMas o que são retenções?

Para conhecimento e conforme cita a IPC 11:

11. […] retenções são valores retidos ou consignados pela fonte pagadora na folha de salários de pessoal ou nos pagamentos a prestadores de serviços ou fornecedores. Tais valores retidos correspondem às obrigações do favorecido pelo pagamento da despesa orçamentária, porém, a fonte pagadora possui a responsabilidade legal de reter tais tributos, contribuições ou outros valores e, posteriormente, efetuar seu recolhimento. 

12. Esse procedimento ocorre em pagamentos de despesas orçamentárias sobre as quais incidem impostos (por exemplo, o IR ou ISS) ou contribuições (por exemplo, a contribuição ao RPPS, INSS, PIS, COFINS ou CS). Podem decorrer também de alguma determinação contratual (convênios a consignatários).

13. O valor retido poderá representar uma necessidade de repasse pelo ente, quando o recurso for de terceiro, ou uma receita orçamentária, caso o valor retido pertencer ao ente.

Diante do exposto, tanto o INSS como o IR serão retenções vinculadas ao empenho e na liquidação ou pagamento. A partir desse momento deverão ser geradas as Despesa extras no Contábil para evidenciação do repasse a ser realizado. Se tratando do IR, após seu pagamento como uma despesa extra, deverá ser registrada também um arrecadação orçamentária, afinal este valor retino pertence ao ente.

E para que as retenção sejam apresentadas ou que o sistema consiga evidenciá-las no empenho e posteriormente na liquidação e pagamento, o relacionamento deve ser realizado.

Clique em + RELACIONAMENTO e informe a Retenção, a qual é proveniente do menu Administrando > Controle > Retenções. Insira também o(s) Evento(s) da folha responsável por realizar essa retenção e os Organogramas aos quais os trabalhadores estão vinculados.

A partir deste momento, quando o Folha enviar os valores mensais ao Contábil, após efetuar o empenhamento, as configurações serão responsáveis por demonstrar as retenções no empenho e liquidação ou pagamento, conforme já demonstrada em imagem anterior e abaixo.

Logo, a entidade deverá realizará o cadastro da Despesa extra conforme os valores gerados e oriundos da vinculação das origens. Por exemplo:

E por fim efetuar o registro de uma arrecadação orçamentárias quando se tratar de uma retenção pertencente a entidade.

Realizada a criação dos organizadores e relacionamentos, você deverá ajustar a configuração dos Eventos, os quais foram importados por meio do arquivo da folha e ainda estão apresentando o seguinte indicador de inconsistência, lembra? 

O Número, Descrição e Tipo são automaticamente importados por meio do arquivo de interação da Folha. Logo você tem a missão de conferir os eventos e vincular obrigatoriamente os Organizadores criados, bem como, indicar se o Provento refere-se a pagamento extraorçamentário antecipado e se o Desconto deduz do valor bruto do empenho.

Por exemplo, o pagamento de salário-família, instituído pela Lei Nº 4.266/63, é um provento caraterizado como pagamento antecipado, onda a entidade repassada ao trabalhador um valor único proporcional ao número filhos com idade até 14 anos ou incapazes de qualquer idade. Antes o valor  era cálculo sobre o salário-mínimo, mas com o EC Nº 103/2019, foi alterado juntamente com demais regras do sistema de previdência social. Após, as empresas e administração pública podem compensar o valor repassado ao trabalhador na guia da contribuição do Instituto Previdenciário ao qual está vinculada.

A partir desta pequena contextualização, o Evento Salário-Família terá a seguinte configuração para a entidade que está vinculada ao Regime Geral de Previdência.

Após a configuração do respectivo evento, esse será relacionado como Retenção ao Encargo da Previdência (patronal), para que seja realizada a compensação do valor antecipado ao trabalhador.

Com essa configuração, os valores do salário família pagos ao trabalhador deverão ser registrados no sistema Contábil como Despesas extras e no momento do empenhamento da contribuição patronal, esta apresentará uma retenção automaticamente, oriunda da Folha, com o total do valor de salário-família já antecipado, ou seja, a compensação. 

Quando a entidade possui RPPS (Regime Próprio de Previdência Social) a configuração e os lançamentos do salário-família se alteram. Por volume grande de detalhamento dos registros da folha de pagamento, algumas optam por criar um organizador próprio denominado Salário-família e relacionam as despesas, organogramas e vínculos empregatícios para que ocorra o empenhamento desse valor.

Essa configuração resulta no empenhamento do salário-família como uma despesa orçamentária o qual será compensado posteriormente na guia previdenciária conforme vinculação da entidade ao RPPS.

Quando um evento é do tipo Desconto, além de relacionar o Organograma, você tem a opção de indicar se deduz do valor bruto do empenho ou não por meio do seguinte parâmetro:

Quando ativada essa opção, o empenho que possuir esse desconto, terá seu valor reconhecido e diminuído o desconto, ou seja, resultará na geração de um empenho com valor líquido e não será demonstrado conforme no histórico os descontos. 

Desativada a opção, o desconto poderá se transformar em despesa extra por meio relacionamento de retenções, como é o caso até mesmo de um seguro de vida.

Assim como os Eventos, os Encargos são automaticamente importados por meio da integração do arquivo oriundo do Folha. Entretanto, precisam também ser configurados e relacionadas as despesas e retenções, quando houver.

Como no relacionamento dos Organizadores, este processo também é importante nos Encargos, afinal os empenhos provenientes destes serão gerados em determinada despesa, desdobramento e recurso e conforme o organograma e vínculo empregatício oriundo do arquivo da folha. 

Por meio do botão Outras opções, clique em Relacionamentos e após em + RELACIONAMENTO. Informe a Despesa e seu Desdobramento, além do Recurso.

Quando uma entidade possui RPPS os encargos provenientes deste regime também deverão ser apresentados e estar com os relacionamentos devidamente realizados.

Como nos Organizadores, por meio do botão Outras opções, clique em Relacionar retenções e informe a respectiva Retenção, os Eventos do tipo Desconto os quais estão relacionados, bem como, os Organogramas.

Mas o que são retenções?

Para conhecimento e conforme cita a IPC 11:

11. […] retenções são valores retidos ou consignados pela fonte pagadora na folha de salários de pessoal ou nos pagamentos a prestadores de serviços ou fornecedores. Tais valores retidos correspondem às obrigações do favorecido pelo pagamento da despesa orçamentária, porém, a fonte pagadora possui a responsabilidade legal de reter tais tributos, contribuições ou outros valores e, posteriormente, efetuar seu recolhimento. 

12. Esse procedimento ocorre em pagamentos de despesas orçamentárias sobre as quais incidem impostos (por exemplo, o IR ou ISS) ou contribuições (por exemplo, a contribuição ao RPPS, INSS, PIS, COFINS ou CS). Podem decorrer também de alguma determinação contratual (convênios a consignatários).

13. O valor retido poderá representar uma necessidade de repasse pelo ente, quando o recurso for de terceiro, ou uma receita orçamentária, caso o valor retido pertencer ao ente.

Diante do exposto, o valor do Encargo gerado pela folha, por exemplo a contribuição previdenciária patronal (entidade), resultará em empenho orçamentário. Assim, como já demonstrado o tratamento das retenções de IR e INSS (trabalhador), quando o Encargo possuir relacionamento de retenções, estas serão demonstradas nos empenhos e liquidações ou pagamentos. E a partir desse momento deverão ser geradas as Despesa extras no Contábil para evidenciação do repasse a ser realizado.

Essa opção está disponível na guia PARÂMETROS da tela Configurando folha de pagamento. Quando selecionada, o sistema agrupará todos os valores oriundos do arquivo de integração da folha que apresentam a configuração do relacionamento de despesas iguais e realizará a geração de um único empenho.

Entidades que preferem um maior detalhamento sobre a geração dos empenhos conforme os valores oriundos da folha, não deverão marcar o parâmetro citado.

É possível criar e relacionar comprovantes ao realizar a interação de eventos e encargos da folha de pagamento. Por meio da opção Gerar comprovante na liquidação, disponível na guia PARÂMETROS da Configuração da folha de pagamento, ao inserir a liquidação, o sistema gera um comprovante com o tipo selecionado e com os seguintes dados:

  • Classificação: Comprovante de Compras e Serviços;
  • Credor: Credor do Empenho;
  • Tipo: Procurar o tipo de comprovante na configuração acima criada;
  • Número: gera concatenado o mês e o ano do empenho. Exemplo: 032020;
  • Data emissão: data da liquidação;
  • Valor: valor da liquidação;
  • Finalidade: especificação do empenho;
  • Vencimentos: mesmos vencimentos da liquidação.

Vale ressaltar que ao habilitar essa opção, deve ser informado o Tipo de comprovante que deseja gerar, seja recibo, nota fiscal entre outros. Lembrando que o cadastro do Tipo de comprovantes está localizado no menu Administrando > Cadastros auxiliares.


Caso ocorra algum erro ao inserir o comprovante, o sistema apresentará inconsistência e não gravará a liquidação, permanecendo a integração pendente.

Antes deste item, todo conteúdo dessa página apresentado tem o objetivo que contextualizar ao máxima a configuração da folha de pagamento para a correta geração dos empenhos no sistema. E compreendidos os conteúdos clique no ícone ‘+‘ para visualizar e efetuar o empenhamento da folha e dos encargos conforme cada solicitação.

No painel serão demonstradas as solicitações conforme o tipos, ou seja, Evento da folha mensal, Evento Complementar rescisão, Encargo Mensal e assim por diante. O motivo se deve ao fato de serem enviados separadamente, procedimento este mais adequado.

No vídeo abaixo é apresentado todo o processo de geração do empenho da folha de pagamento, como a possibilidade de edição do empenho e das retenções,  a visualização dos resumos financeiros, a alteração da data de geração dos registros, além da possibilidade de geração das liquidações e as datas de seus vencimentos.

Perceba ainda que o sistema realizada todo o empenhamento da folha mensal com as informações devidamente preenchidas, bem como, a tramitação da liquidação. Vale ressaltar que os empenhos são gerados com identificador do tipo Folha, mas você pode realizar a alteração previamente na tela respectiva tela:

O descarte de uma solicitação é simples e pode ser realizado em poucos cliques. Vale destacar que cada envio de arquivo do folha não substituí aquele já enviado e recepcionado no painel do sistema Contábil. Isso possibilita à entidade enviar o movimento da folha mensal quantas vezes desejar e descartar posteriormente aqueles que não foram empenhados.

Na tela de geração dos empenhos é possível efetuar a pesquisa por inúmeros critérios como, número e descrição do organograma da folha, descrição do vínculo empregatício, bem como, número e descrição do evento da folha.