Auxiliar – Contábil


xxx

Para o relacionamento das contas, quando a entidade utilizar um nível diferente do Siconfi, será mantido o arquivo txt conforme as seguintes instruções.

Ao executar o arqjoblet [Principal] Gerar DCA, estará disponível o argumento: Arquivo de relacionamento .txt.

Este argumento é opcional e, informando-o, o sistema possibilitará que seja indicado um arquivo com extensão .txt que contenha relacionamento entre contas do PCASP Estendido (IPC 00) e contas do Contabilidade/SAPO.

A necessidade deste argumento é para atender a situações específicas de alguns planos de contas dos Estados que possuem máscaras de contas fora do elenco padrão da STN. Se estas contas possuírem movimentação, elas não são geradas no arquivo instancia.xml do SICONFI DCA.

Para que o saldo destas contas não fique fora do arquivo, consequentemente gerando inconsistências ao enviar a instancia.xml, é possível criar um relacionamento da conta exclusiva do estado com uma conta do plano do tesouro. Para isso, basta criar um arquivo com extensão .txt com qualquer nome e, dentro do arquivo, inserir as linhas conforme a formatação abaixo:

99999;99999
9999;9999
999999;99999​

Alguns pontos devem ser observados

Ao ler o arquivo .txt de relacionamento, o arqjoblet não irá apontar qualquer problema ou validação da formatação, nível de conta ou posição das informações no arquivo, por isso é importante observar com atenção a forma de configuração do arquivo.

Podemos citar uma situação real: a conta 3.3.2.3.2.X do Plano de Contas do Tribunal de São Paulo. Esta conta existe no plano de contas do Estado, porém não existe no plano de contas da STN. Nesse caso, podemos criar um arquivo chamado “relacionamento.txt” e dentro dele inserir a linha:

33231;33233

A primeira máscara então é a conta do IPC 00 e a segunda máscara, após o separador ponto-e-vírgula, é a máscara do plano de São Paulo. Quando for gerada a instancia.xml do DCA, ao apurar os valores do Anexo I-HI, os valores da máscara 33233 de São Paulo serão somados aos valores da conta 33231, não ficando assim contas fora do elenco padrão do PCASP Estendido.

Podemos citar também outra situação real: a entidade pode emitir um balancete de verificação anual e consolidado, verificando que  as contas que foram utilizadas  para o grupo “4.6.4”, não correspondem ao somatório dos valores nas suas contas analíticas, no Anexo I-HI. Deste modo, durante a validação da instancia submetida vamos encontrar uma mensagem de erro, veja o exemplo:

Se  verificarmos o mapeamento SICONFI DCA para o exercício notamos que a conta “4.6.4.1.5” será inexistente, vejamos:

Porém se observarmos no sistema Contabilidade,  quando houver emissão do balancete de verificação constará a máscara utilizada na entidade. 

Nesse caso, podemos criar um arquivo chamado “relacionamento.txt” e dentro dele inserir a linha:

46411;46415

A primeira máscara então é a conta do SICONFI DCA e a segunda máscara, após o separador ponto-e-vírgula, é a máscara utilizada na entidade. Quando for gerada a instancia.xml do DCA, ao apurar os valores do Anexo I-HI, os valores da máscara 46415 serão somados aos valores da conta 46411, não ficando assim contas fora do elenco padrão do PCASP Estendido.
 
Vale ressaltar, que para criar o arquivo pode ser utilizado o próprio bloco de notas.

Nos relacionamentos das contas de máscaras iniciadas em 3 ou 4 (as VPAs e VPDs), não utilizar máscara do PCASP Estendido maior que o 5º nível, pois o SICONFI DCA limita todo o grupo 3 e 4 até o 5º nível somente.

C Categoria Econômica 1 Receita Corrente
O
Origem
1
Impostos, Taxas e Contribuições
E
Espécie
1
Impostos
DDDD
Desdobramentos para identificação de peculiaridades da receita
8011
Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana
T
Tipo
1
Principal


xxx

x

x

x

x

x

Em Outras opções é possível Ativarxxxx. Essa ação permite, que uma xxxx cadastrada em exercícios anteriores ao atual, continue sendo utilizada, bastando apenas ativar seu uso para o respectivo ano.

x

x

x